Wuthering Heights

Eu sempre tive poucas informações sobre minha mãe, tudo muito superficial, talvez dada a seriedade do meu pai ou dor da perda dele e de meus irmãos, as informações eram de atitudes, de como ela era com a criação de seus filhos e principalmente a defesa com relação aqueles que amava. Eu sofri, ao posso negar, ainda mais tê-la perdido tão jovem.
Ambas eram jovens. Eu com sete ela com quarenta e três. Então ela se tornou algo quase intangível, com uma aura de mistério que não sei se fez bem ou mal a mim. Isso é somente com relação a que tipo de pessoa ela foi realmente na intimidade, pois apesar de ter perdido minha mãe, eu tive praticamente cinco pães. Meu pai e quatro irmãos que na medida do possível se desdobravam para que essa falta fosse o menos traumática possível e posso dizer, eles foram bem sucedidos.
Mas havia sempre a curiosidade, e quando falamos de crianças isso fica ainda mais aguçada. Como eu gosto muito de ler, eu sempre tive a curiosidade de saber qual seria o livro preferido dela. Um dia meu pai me disse que era O Morro dos Ventos Uivantes (Wuthering Heights). Resolvi ler esse clássico inglês. E admito que foi interessante ver porque essa história de amor, amargura e arrependimentos se tornou tão popular. Tive a oportunidade de ver em vídeo uma versão feita em 2011 pela diretora Andrea Arnold que a meu ver fez a versão mais parecida com o livro. Dura, crua, difícil de ver e gostar. Mas foi isso que atraíram tantos a Brontë. A dificuldade daquele amor, a impossibilidade dele. A pele escura de Heatchliff, seus
sofrimentos, seu embrutecimento, os caprichos infantis de Cathy e o amor impossível dos dois que passou por cima de tudo e todos. Atitudes condenáveis, que atravessaram gerações até uma possível redenção. Isso foi o que o livro me passou, isso foi o que senti, espero que cada um que venha ler essa mera opinião possa ter em mãos o livro e tirar suas próprias conclusões.

Wuthering Heights.

































0 comentários:

"Nós nascemos sozinhos, vivemos sozinhos, morremos sozinhos. Somente através do amor e da amizade podemos criar a ilusão por um momento que não estamos sozinhos."

Orson Wells

Fenix

Fenix

Eu

Image and video hosting by TinyPic

Resolutions for life

Resolutions for life

Fale comigo

Atualizações Por Email

Meus textos no Me, Myself and I

"Para obter algo que você nunca teve, precisa fazer algo que nunca fez".

"Quando Deus tira algo de você, Ele não está punindo-o, mas apenas abrindo suas mãos para receber algo melhor".

"A Vontade de Deus nunca irá levá-lo aonde a Graça de Deus não possa protegê-lo".

"Boas meninas vão para o céu.

"Boas meninas vão para o céu.
As más vão para qualquer lugar" H.G.Brown

Beijo BEM DADO!

Beijo BEM DADO!
13 de Abril - Dia do Beijo!

Robert & Kristen

Robert & Kristen
Essa foto é quente!!!

Pervert


Mulher Maravilha

Mulher Maravilha

Visualizações de páginas da semana passada

Robert Pattinson Ai Meu Deus!

Robert Pattinson Ai Meu Deus!
Niver: 13/05

Addicted

Addicted

FREEDOM

FREEDOM
passarinho na gaiola não canta, lamenta.

Yes, I do

Yes, I do

Bruninho bonitinho...

Bruninho bonitinho,
Se vovozinho pegar
Você dormindo no

Meu sofazinho gostosinho,
Vai cortar seu pir*zinho!

TOMA! ! ! ! !


VINGANÇA!!!!!

Seja antes de tudo Humano...

Seja antes de tudo Humano...
Com seu próximo!

Coments...

Coments...

Janelândia

Janelândia
Passo muito tempo aqui.

Seguidores

Eu Bloggo! Desde 15/01/08

Eu Bloggo! Desde 15/01/08
TU BLOGAS?

Avise, deixe BEM claro!

Avise, deixe BEM claro!

Memento, Homo, Quiá Pulvis Es Et In Pulverem Reverteris.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó hás de voltar”.