Audrey Munson - A Vênus Americana

Audrey Munson – A Vênus Americana
Em uma nova biografia, The Curse of Beauty: The Scandalous and Tragic Live of Audrey Munson, America's First Supermodel ("A Maldição da Beleza: A Vida Escandalosa e Trágica de Audrey Munson, Primeira Supermodelo dos Estados Unidos", em tradução literal), o jornalista James Bone conta a história trágica da modelo Audrey Munson, a musa que se tornou o modelo para centenas de obras que ainda adornam ruas e edifícios públicos em Nova York e em todo o país. Principalmente em Nova York exibem belos monumentos e estátuas, geralmente de figuras femininas. O que poucos sabem é que uma só mulher foi a inspiração e modelo para grande parte dessas obras do início do século 20: Audrey Munson.
 
Uma história sobre Munson diz que foi "esculpida em mármore, fundida em bronze, retratada em moedas, gravadas em filme e saudado em jornais em todo o país como" a Vênus Américana e a menina com a figura perfeita. Escândalos e mudanças na arte terminaram com sua carreira, e ela morreu em perto de obscuridade em 1996, com a idade de 105, depois de mais de 65 anos em uma instituição psiquiátrica em Ogdensburg. Munson nasceu em Rochester, em 1891, mas mudou-se para o México com seus pais quando ela era jovem. Aos 15 anos, os pais de Munson se divorciaram e ela escolheu se mudar para Nova York com sua mãe. Munson foi descoberta por um fotógrafo enquanto olhava vitrines na Quinta Avenida, e logo se tornou a modelo mais famosa dos EUA. Munson era muito bonita, escultural, tinha 1,77 m de altura, alta para uma mulher da época. Tinha traços quase clássicos, com um nariz longo e reto. 

Por uma década, Munson posou para murais, pinturas e fotografias, bem como memoriais, esculturas e monumentos. De acordo com uma história do Wall Street Journal, a sua figura ainda podem ser vistos por toda a cidade de Nova York em esculturas como "Civic”, uma estátua de 7,6 metros no alto da Prefeitura, no Edifício municipal de Manhattan; o "Spirit of Commerce", na ponte de Manhattan; e esculturas fora da Biblioteca Pública de Nova Iorque e do Museu de Brooklyn. Na idade de 24 anos, ela foi a modelo para a maioria das esculturas na exposição Jewel City at Fair 1915 em San Francisco. Munson posou nua em um momento em que foi considerado chocante, e estava sempre ansiosa por dinheiro e atenção. Ela também foi uma das primeiras mulheres a aparecer nua em filme, aparecendo em vários filmes mudos. Ela estrelou uma série de filmes, na qual sempre interpretava praticamente a mesma personagem: a modelo de um artista, ou seja, ela mesma. De acordo com o The Wall Street Journal, esse papel permitia que ela fizesse algo que já sabia - seu talento dramático era considerado "limitado".  Um desses filmes foi Purity, de 1916. Segundo o escritor, a pressão do show business começou a influenciar o comportamento de Munson já na época em que essa película foi filmada. E a partir da segunda metade de 1916 ela começou a apresentar comportamento de portador de doença mental.


Embora a sua nudez tenha criado um clamor público, Munson defendeu-se dizendo: "O que é a imodéstia das outras mulheres tem sido a minha força". No entanto, por várias razões a quantidade de trabalhos para Munson começaram a secar. O tipo de arte que ela posava começou a perder popularidade. E ela foi pega em um escândalo em 1919 quando um médico de Nova York assassinou sua esposa. Ela e sua mãe tinham muitas vezes estado na casa do casal, e o médico se apaxonou por Munson. Ela acreditava que isso ajudou a acabar com sua carreira de modelo e atriz. Uma história conta que no dia 24 de outubro de 1926, um homem fora ao seu camarim depois de um desfile de moda. E a partir de então, nenhum artista iria trabalhar com ela. Ela também começou a mostrar sinais de doença mental. Munson estava convencida de que havia para ela uma profecia que quando ela era uma criança em East Syracuse uma mulher cigana previu que ela seria bem conhecida, mas infeliz no amor. Ela contou seis casos de amor que terminaram mal, e esperava que o sétimo seria o último. Em 1921, ela pensou que campeão dos pesos pesados ​​Jack Dempsey seria adequado, mas ele nunca a pediu em casamento. Mais tarde nesse ano, ela colocou um anúncio nacional para encontrar um marido fisicamente perfeito. Mais de 200 homens responderam. Munson também foi atormentada por problemas de dinheiro. 


Ela ganhou muito pouco para seus filmes, apesar do que arrecadou. Incapaz de encontrar trabalho, ela voltou para o México, com sua mãe, onde ela tentou cometer suicídio bebendo veneno em 27 de maio de 1922 com 31 anos. Em 1926, a descreveram como vivendo em "uma casa miserável," em reclusão, igual somente aos que sofrem de melancolia. “Uma vez tão glamourosa, ela era agora uma sombra do que antes foi", vestida com roupas que qualquer mulher fazenda poderia usar e pouco se importando se o seu belo cabelo estivesse ou não penteado ou mesmo que descesse emaranhados pelas costas. Em 1931, aos 40 anos ela foi colocada em uma clínica psiquiátrica em Ogdensburg por sua mãe, onde passou o resto da vida, esquecida por todos. Ela morreu em 1996, e foi enterrada em uma cova que nem espaço para uma lápide tinha. E esse foi o fim da história de Audrey Munson, a bela mulher que tem presente em tantos monumentos em NY principalmente morreu sem ao menos uma marcação no cemitério New Haven em Connecticut.





















































Monumentos
(Columbia Triumphant, the Maine Memorial, Piccarelli)
Sua semelhança era e está presente em uma série de grandes peças de arte pública em torno da cidade, incluindo a Miss Manhattan e Miss Brooklyn por Daniel Chester na ponte de Manhattan, Columbia no Memorial Maine em Central Park por Attilio Picarelli, Pomona ou abundância em a Fonte Pulitzer em Grand Army Plaza por Karl Bitter, e Beauty no NYPL por Frederick MacMonnies. Ao mesmo tempo, houve mais de 30 peças no Metropolitan Museum of Art, que contou com Audrey Munson. Ela também posou para a parte dianteira e a parte traseira do centavo norte americano em 1916.

(Star-Maiden, Panama Pacific International Exhibition, one of 133 identical bronzes that topped a pavilion at the exhibition, Calder)
Quando a Panamá Pacific International Exhibition em 1915 foi anunciada em San Francisco, vários artistas foram contratados para criar murais e obras de estatuária para a feira. Das mais de 1500 esculturas criadas para a exposição, mais de três quartos foram modelados por Audrey Munson e ela foi apelidada de "Garota da Exposições".

(Manhattan, French)
Com a popularidade avanço do cinema mudo, Audrey Munson tentou transformar seu sucesso como modelo em uma carreira cinematográfica. Ela fez quatro filmes entre 1915 e 1920. Os primeiros três foram enormes sucessos comerciais, apesar de, ou talvez por causa do fato de que ela apareceu nua. A sociedade da época que defendiam a "ordem moral" atacaram Audrey pela exposição de seu coprpo nas suas estátuas, por causa da nudez e da reação da crítica então ela se empenhou em seus esforços cinemáticos ainda mais. Numerosos pequenos cinemas da cidade proibiram os filmes por completo e clérigos pregaram sobre a sua falta de virtude. À medida que o furor cresceu, a defesa da inocência de seu trabalho foi redobrada. Ela protestou que atuando como modelo de um artista não estava em forma sobre a carnalidade, mas sobre a pureza e beleza da forma feminina.

(Descending Night, Weiman)
Em 1919, Audrey estava ligada a um caso de assassinato sensacional. Seu proprietário, e amigo da família, Dr. Walter Wilkins, assassinou sua esposa de uma forma particularmente sangrenta. A investigação descobriu cartas de amor que Wilkins tinha escrito para Audrey e seu nome foi anunciado através dos jornais como suspeita e pessoa de interesse na morte. Neste ponto, a opinião pública virou-se contra ela e sua carreira desapareceu. Seu contrato com o estúdio de filmes foi cancelado e ela desapareceu da vida pública, sem um tostão. Ela nunca foi causada e seu envolvimento nunca foi provado.

(Titanic Memorial, Strauss Park, French)
Até o momento ela tinha 39 anos, em 1931, Audrey Munson tinha desenvolvido o que parecia ser problemas de saúde mental incuráveis. Depois de ser acusada de atear fogo em uma pequena cidade no interior de Nova York, onde ela e sua mãe tinham se mudado, Audrey foi internada em uma clínica psiquiátrica judicialmente. Ela permaneceu lá, por 65 anos, quase inteiramente esquecida, até sua morte, em 1996, com a idade de 104.

(Beauty, New York Public Library, MacMonnies)
Audrey Munson é uma figura fascinante na história da arte americana, uma mulher que caracterizou fortemente o movimento Beaux Arts, e ainda há exatamente um livro sobre ela ((American Venus by Diane Rozas and Anita Bourne Gottehrer, é bastante sensacionalista e não bem escrito ) e um monte de pessoas nunca ouviram falar dela. Um triste fim para uma mulher espelha a New York de uma época tão importante.

Isidor, Ida, e a noite do naufrágio do Titanic
Na noite do desastre, como a chamada para embarcar nos botes salva-vidas saiu, Isidor escoltou Ida para o bote 8 e se preparou para dizer adeus a ela. Ida, no entanto, recusou-se a entrar no pequeno barco, dizendo: "Temos vivido juntos por muitos anos. Onde você for eu vou. "Vários outros passageiros de primeira classe tentaram convencer Ida a subir a bordo, mas ela não pôde ser influenciada. Em vez disso, mandou a sua criada recém-contratada, Ellen Bird, em seu lugar, após a primeira ter envolvido-a em uma pele como proteção contra o frio. Os Strauses foram vistos pela última vez sentados lado a lado na plataforma de botes do Titanic.
Os Strauses não estavam longe de um membro de sua família na noite de sua morte. Seu filho mais velho, Jesse Isidor, o embaixador dos EUA na França, estava viajando de volta para Paris no Amerika, que tinha recebido do Titanic um aviso de gelo mais cedo naquele dia. Jesse Isidor também tinha enviado seus pais um telegrama pessoal, mencionar o gelo que tinha visto.

O corpo de Isidor foi recuperado pela Mackay-Bennett. O serviço fúnebre de Isidor foi adiado por alguns dias na esperança de que o corpo de Ida fosse também ser recuperado, permitindo que os dois que tinham vivido e morrido em conjunto pudessem também compartilhar um funeral, mas o corpo de Ida nunca foi encontrado. Vários dias depois, mais de vinte mil pessoas reuniram-se no Carnegie Hall em Nova York para um serviço memorial em honra dos Strauses.




0 comentários:

"Nós nascemos sozinhos, vivemos sozinhos, morremos sozinhos. Somente através do amor e da amizade podemos criar a ilusão por um momento que não estamos sozinhos."

Orson Wells

Fenix

Fenix

Eu

Image and video hosting by TinyPic

Resolutions for life

Resolutions for life

Fale comigo

Atualizações Por Email

Meus textos no Me, Myself and I

"Para obter algo que você nunca teve, precisa fazer algo que nunca fez".

"Quando Deus tira algo de você, Ele não está punindo-o, mas apenas abrindo suas mãos para receber algo melhor".

"A Vontade de Deus nunca irá levá-lo aonde a Graça de Deus não possa protegê-lo".

"Boas meninas vão para o céu.

"Boas meninas vão para o céu.
As más vão para qualquer lugar" H.G.Brown

Beijo BEM DADO!

Beijo BEM DADO!
13 de Abril - Dia do Beijo!

Robert & Kristen

Robert & Kristen
Essa foto é quente!!!

Pervert


Mulher Maravilha

Mulher Maravilha

Visualizações de páginas da semana passada

Robert Pattinson Ai Meu Deus!

Robert Pattinson Ai Meu Deus!
Niver: 13/05

Addicted

Addicted

FREEDOM

FREEDOM
passarinho na gaiola não canta, lamenta.

Yes, I do

Yes, I do

Bruninho bonitinho...

Bruninho bonitinho,
Se vovozinho pegar
Você dormindo no

Meu sofazinho gostosinho,
Vai cortar seu pir*zinho!

TOMA! ! ! ! !


VINGANÇA!!!!!

Seja antes de tudo Humano...

Seja antes de tudo Humano...
Com seu próximo!

Coments...

Coments...

Janelândia

Janelândia
Passo muito tempo aqui.

Seguidores

Eu Bloggo! Desde 15/01/08

Eu Bloggo! Desde 15/01/08
TU BLOGAS?

Avise, deixe BEM claro!

Avise, deixe BEM claro!

Memento, Homo, Quiá Pulvis Es Et In Pulverem Reverteris.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó hás de voltar”.