Maria Madalena de Donatello (Madalena Arrependida)

Esta Maria Madalena foi esculpida por Donatello. A escultura de Maria, feita de madeira e gesso. Mais do que pedra ou mármore, comuns nas esculturas, a madeira e o gesso usados permitiram a Donatello esculpir algo espantoso, único e psicologicamente revelador. A peça é um enigma para o mundo da história da arte - não sabemos exatamente quando foi feita, especulam 1430, 1453 e 1455 alguns historiadores acreditam que ela foi encomendada para o Batistério de Florença e encontra-se no Museo dell’Opera di Santa Maria del Fiore em Florença.


A documentação sobre a obra é escassa. O historiador de arte renascentista Giorgio Vasari a menciona como uma obra sem falhas e uma anatomia perfeita. Foi executada por Donatello quando ele tinha mais de sessenta anos de idade, após ele passaram uma década em Pádua. A datação foi estabelecida, baseando-se em uma cópia do ateliê de Neri di Bicci (atualmente no Museu do Colegiado de Empoli), que se sabe ser de 1455. Em 1500, a obra estava no batistério da cidade. De acordo com um historiador italiano, ela foi vista por Carlos VIII de França na década de 1480, quando ele e seu exército estavam acampados nos arredores de Florença.


Embora a "Madalena Arrependida" seja a representação usual para as muitas figuras de Maria Madalena nas artes, a figura sombria e emaciada de Donatello difere enormemente da maioria das representações, as quais mostram uma bela jovem em perfeita saúde.  A hagiografia medieval na Igreja Católica ocidental tinha confundido a figura de Maria Madalena à de Maria de Betânia e à da pecadora sem nome na Unção de Jesus, com a da santa Maria do Egito. Esta era uma figura popular na Igreja oriental, pois tinha sido uma prostituta, antes de passar trinta anos se arrependendo no deserto. A representação de Donatello é semelhante, e muito provavelmente influenciada pelos ícones de Maria do Egito da Igreja Ortodoxa, que mostram uma figura emaciada similar. Assim, ele ignorou as lendas ocidentais de que Maria era diariamente alimentada.

O rosto de Maria Madalena é a parte psicológica mais reveladora da escultura. Seus lábios estão separados, como se ela estivesse presa em meio de ação ou sentença. Suas mãos não estão bem unidas, e ela olha para fora com intensidade. Ela parece estar completamente, introspectivamente fixada em Cristo; Meditando com uma expressão de espanto pelas coisas que fez por ela. É evidente a partir de seus traços faciais - suas bochechas santificadas, dentes perdidos, olhos escancarados, cabelo sujo - que tanto sua vida pregressa (pecaminosa) e sua vida reformada como uma asceta tomaram seus pedágios em sua alma, manifestada através de sua aparência física. Esta foi uma escolha deliberada na parte de Donatello. Ele poderia ter criado facilmente uma escultura sedutora para sua Madalena, uma mulher forte e capaz, com cabelos longos e fluidos e beleza insuperável. Mas ele não o fez. Donatello esculpiu a aparência de Maria para contar uma história de arrependimento e redenção. Seu corpo testemunha a privação física que ela sofreu como uma asceta depois que seu Senhor subiu ao céu. Ela está diante do espectador como um seguidor penitente de Cristo.

É o cabelo de Mary que impressiona a primeira vista. Seu cabelo, agora emaranhado e sujo, cobrindo todo o seu corpo, desvia o espectador: esta Maria ungiu os pés de Cristo com óleo e lágrimas, secou-os com os cabelos, arrependeu-se e acabou se tornando uma asceta. Conforme relatado nos Evangelhos, Maria Madalena derramou um perfume precioso na cabeça de Cristo e lavou seus pés com suas lágrimas e as secou com seus cabelos (Lucas 7: 36-50). (Há uma disputa entre estudiosos quanto a qual das muitas mulheres que estava em volta do Cristo fez isto, mas para nossos propósitos, é Maria Madalena.) Maria Madalena era, por tradição, uma bela mulher que mais tarde se tornou uma asceta. De acordo com a Lenda Dourada, ela deixou sua vida mundana para se tornar uma asceta no sul da França porque "Jesus desejava sustentá-la, mas com carnes celestiais, não lhe permitindo satisfação terrena". Seu passado e seu presente estão reunidos em uma Imagem e sua vida inteira está aberta, a vista de todos.

No momento em que o espectador a vê, Maria parece estar presa num momento pessoal entre ela e Cristo. Ela não confronta ou convida o espectador diretamente com seu olhar, mas a abertura da forma da escultura convida o espectador em seu espaço. O espectador é levado para este momento de conversa tranquila e interna, se não para orar com ela, então para contemplar sua história - e mais importante talvez, a própria vida espiritual.

A obra foi danificada pela cheia do rio Arno em 1966. O itinerário de restauração foi terminado em 1972. Na época em que a restauração foi iniciada, a obra foi pintada de um marrom opaco. Um restaurador, dando início à restauração, ao lavar os pés da Madalena, descobriu um pequeno pedaço de ouro. O trabalho de restauração incluiu, assim, a retirada de toda a escuridão que tinha sido aplicada em algum momento negativo da história.


Maria Madalena é atualmente exibida em um recinto circular onde se pode vê-la por todos os lados. Se foi ou não assim que ela foi originalmente exibida, os historiadores de arte não sabem. No entanto, esta exibição atual é importante porque a escultura pode ser vista de todos os ângulos possíveis, e cada ângulo do rosto de Maria produz uma nova percepção de sua psique e do fervor psicológico do momento. Sua aparência desgrenhada e a expressão torturada em seu rosto são o resultado não só das exigências físicas de sua penitência (vida como uma asceta), mas também o resultado da memória que está revivendo - o momento em que Cristo a perdoou. Ela está presa num momento de gratidão, de receber graça e vislumbrar esperança. Este momento também é expresso através dos seus cabelos (que cobrem e vestem todo o seu corpo) porque serve como vestimenta. Que outras obras que você viu levam tanto à piedade e introspecção?



"Um lembrete de sua antiga beleza e sensualidade, um emblema de sua honra de Cristo e de seu arrependimento, e um símbolo de sua negligência das coisas mundanas durante sua vida como uma santa hermética." - Bonnie A. Bennett.

0 comentários:

"Nós nascemos sozinhos, vivemos sozinhos, morremos sozinhos. Somente através do amor e da amizade podemos criar a ilusão por um momento que não estamos sozinhos."

Orson Wells

Fenix

Fenix

Eu

Image and video hosting by TinyPic

Resolutions for life

Resolutions for life

Fale comigo

Atualizações Por Email

Meus textos no Me, Myself and I

"Para obter algo que você nunca teve, precisa fazer algo que nunca fez".

"Quando Deus tira algo de você, Ele não está punindo-o, mas apenas abrindo suas mãos para receber algo melhor".

"A Vontade de Deus nunca irá levá-lo aonde a Graça de Deus não possa protegê-lo".

"Boas meninas vão para o céu.

"Boas meninas vão para o céu.
As más vão para qualquer lugar" H.G.Brown

Beijo BEM DADO!

Beijo BEM DADO!
13 de Abril - Dia do Beijo!

Robert & Kristen

Robert & Kristen
Essa foto é quente!!!

Pervert


Mulher Maravilha

Mulher Maravilha

Visualizações de páginas da semana passada

Robert Pattinson Ai Meu Deus!

Robert Pattinson Ai Meu Deus!
Niver: 13/05

Addicted

Addicted

FREEDOM

FREEDOM
passarinho na gaiola não canta, lamenta.

Yes, I do

Yes, I do

Bruninho bonitinho...

Bruninho bonitinho,
Se vovozinho pegar
Você dormindo no

Meu sofazinho gostosinho,
Vai cortar seu pir*zinho!

TOMA! ! ! ! !


VINGANÇA!!!!!

Seja antes de tudo Humano...

Seja antes de tudo Humano...
Com seu próximo!

Coments...

Coments...

Janelândia

Janelândia
Passo muito tempo aqui. Hoje não mais.

Seguidores

Eu Bloggo! Desde 15/01/08

Eu Bloggo! Desde 15/01/08
TU BLOGAS?

Avise, deixe BEM claro!

Avise, deixe BEM claro!

Memento, Homo, Quiá Pulvis Es Et In Pulverem Reverteris.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó hás de voltar”.