Black Dahlia - Elizabeth Short um assassinato há 67 anos sem solução.

AVISO: conteúdo gráfico que pode vir a incomodar os mais sensíveis.

Poderia o infame caso Black Dahlia estar prestes a ser resolvido? Cão farejador descobre cheiro de morte em mansão de suspeito em Hollywood 67 anos após o assassinato horrível.

Considerações:

• O corpo severamente mutilado de Elizabeth Short foi descoberto em 1947.

• O caso continua a ser um dos mais antigos casos de homicídios não solucionados da história LA.

• Steve Hodel acredita que seu pai matou a Dália Negra na casa da família e depois fugiu do país.

• Um cão farejador descobriu o leve rastro de restos humanos no porão. O mesmo e o solo estão sendo testados.

Um ex-detetive de polícia de Los Angeles Steve Hodel acredita que seu pai matou Black Dahlia e levou até a mansão onde passou a infância em Hollywood um cão farejador de cadáveres para tentar resolver esse crime. Essa pergunta está há 67 anos esperando resposta. O chocante assassinato de Elizabeth Short, conhecida como a Dália Negra, é o caso mais antigo de assassinato não resolvido na delegacia de homicídios de Los Angeles.

Em 15 de janeiro de 1947, o corpo severamente mutilado de Short foi descoberto em um terreno baldio perto do cruzamento da 39th Street e Norton Avenue, na parte sul de Los Angeles. Elizabeth Short foi uma aspirante a atriz até seu prematuro assassinato. O corpo de Elizabeth foi cortado na cintura, encontrado completamente sem sangue, seu rosto também mutilado, com cortes a partir dos cantos de sua boca em direção as orelhas, criando um macabro efeito conhecido como sorriso Glasgow.

O local da descoberta do corpo em 1947 e hoje
Short também teve vários cortes na sua coxa e peito, onde porções inteiras de carne foram removidas. O corpo tinha sido lavado e foi 'colocado' com as mãos sobre a cabeça, os cotovelos dobrados em ângulos retos, e as pernas abertas. O assassinato macabro gerou interesse da mídia na época. Os jornais tinham o hábito de apelidar crimes, começaram a se referir a Short como a Dália Negra após o filme então popular A Dália Azul. Para adicionar a sensação de mistério e intriga do caso, detetives do caso da LAPD e editores de jornais receberam notas com insultos que se acredita ser do assassino de Short.

O escritório da promotoria de Los Angeles elaborou uma lista de 25 pessoas que considerava suspeitos viáveis​​, embora cerca de 60 pessoas já tenham confessado o assassinato em um momento ou outro.

Em seu livro de 2003 "Black Dahlia Avenger", Steve Hodel apresenta a alegação de que seu pai, Dr. George Hodel, um médico, foi o responsável pelo assassinato. Steve acredita que seu pai matou a Dália Negra no porão da casa da família em um momento em que a família não estava presente no recinto. Hodel também foi capaz de provar que ele e seus irmãos tinham sido afastados com sua mãe da casa naquela época.


George Hodel tinha sido um suspeito no caso original e os investigadores ainda plantaram uma escuta na casa na esperança de ouvir incriminatórias admissões. Mas antes que as autoridades apresentarem as acusações, Dr. Hodel abandonou abruptamente a sua família e se mudou para a Ásia. Ele morreu em 1991.

O corpo mutilado de Elizabeth Short foi encontrado em um terreno baldio perto de um cruzamento movimentado na seção sudoeste de Los Angeles em 1947.  Pouco tempo antes de sua morte, Short havia sido presa em Santa Barbara na acusação de bebedeira.


Quando surgiu a oportunidade para Hodel para retornar à sua casa de infância, ele aproveitou a chance após produtores do programa Ghost Hunters do Canal SyFy terem obtido a permissão de entrar os atuais proprietários.


Em novembro de 2013 Hodel, juntamente com o sargento de polícia aposentado Paul Dostie e Buster, um labrador treinado para detectar o cheiro único de decomposição humana, visitaram a propriedade. Uma vez solto, Buster rapidamente estabeleceu quatro locais no porão onde ele poderia pegar um leve vestígio de restos humanos. O porão nunca tinha sido concluído e uma vez que o piso ainda era de terra, amostras de solo foram tomadas.

Hodel está aguardando os resultados dessas amostras, o que pode uma vez por todas confirmar o assassino de Elizabeth Short a Dália Negra.

Como a polícia chegou a considerar George Hodel um dos suspeitos:

George Hodel

Dr. George Hodel Colina, Jr. ficou sob vigilância policial em outubro 1949, quando a filha de 14 anos, Tamar, o acusou de molestá-la. Três pessoas testemunharam em seu julgamento que elas estavam presentes na sala e viram-no ter relações sexuais com Tamar. Outra testemunha, que já havia admitido que ela havia participado de atos sexuais com Tamar, se retratou e se recusou a depor. Hodel foi absolvido das acusações em dezembro de 1949. O caso de abuso sexual levou a polícia de Los Angeles para incluir Hodel, um médico especializado em saúde pública e doenças sexualmente transmissíveis, entre seus muitos suspeitos no caso Dahlia. Autoridades colocaram Hodel sob vigilância de 18 fevereiro à 27 março de 1950, incluindo a instalação de dois microfones em sua casa, monitorados por mais de 18 detetives, para verificar se ele poderia estar implicado no assassinato. Nas transcrições sobreviventes, Dr. Hodel é ouvido fazendo declarações altamente incriminatórias.

"Supostamente sim, eu matei a Dália Negra. Eles não podem provar isso agora. Eles não podem falar com a minha secretária mais porque ela está morta.... Eles pensaram que havia algo suspeito. De qualquer forma, agora eles podem ter percebido isso e isso a matou. Talvez eu tenha matado minha secretária...."- George Hodel. 18 de fevereiro de 1950

Ruth Spaulding morreu de uma overdose e Hodel foi investigado pela polícia de Los Angeles, em 1945, por suspeita de assassinato. Ele estava presente quando Spaulding morreu e tinha queimado alguns de seus papéis antes de chamar a polícia. O processo foi arquivado por falta de provas, mas documentos foram encontrados mais tarde que indicaram Spaulding pode ter chantageado a tornar público que Hodel errava propositadamente diagnósticos, para aumentar o faturamento de exames laboratoriais, tratamento médico, e prescrições não necessárias. O filho de Hodel, o ex-detetive de homicídios LAPD Steve Hodel, acredita Elizabeth Short pode ter sido uma das pacientes de seu pai.

No vídeo abaixo Steve Hodel afirma que outros crimes podem também ser atribuídos a seu pai George Hodel, inclusive os crimes do famoso e não identificado assassino do Zodíaco. Será que Steve Hodel tem razão que seu pai seja esse criminoso impiedoso? 


AVISO: conteúdo gráfico que pode vir a incomodar os mais sensíveis. Cenas de mutilamento real.








0 comentários:

"Nós nascemos sozinhos, vivemos sozinhos, morremos sozinhos. Somente através do amor e da amizade podemos criar a ilusão por um momento que não estamos sozinhos."

Orson Wells

Fenix

Fenix

Eu

Image and video hosting by TinyPic

Resolutions for life

Resolutions for life

Fale comigo

Atualizações Por Email

Meus textos no Me, Myself and I

"Para obter algo que você nunca teve, precisa fazer algo que nunca fez".

"Quando Deus tira algo de você, Ele não está punindo-o, mas apenas abrindo suas mãos para receber algo melhor".

"A Vontade de Deus nunca irá levá-lo aonde a Graça de Deus não possa protegê-lo".

"Boas meninas vão para o céu.

"Boas meninas vão para o céu.
As más vão para qualquer lugar" H.G.Brown

Beijo BEM DADO!

Beijo BEM DADO!
13 de Abril - Dia do Beijo!

Robert & Kristen

Robert & Kristen
Essa foto é quente!!!

Pervert


Mulher Maravilha

Mulher Maravilha

Visualizações de páginas da semana passada

Robert Pattinson Ai Meu Deus!

Robert Pattinson Ai Meu Deus!
Niver: 13/05

Addicted

Addicted

FREEDOM

FREEDOM
passarinho na gaiola não canta, lamenta.

Yes, I do

Yes, I do

Bruninho bonitinho...

Bruninho bonitinho,
Se vovozinho pegar
Você dormindo no

Meu sofazinho gostosinho,
Vai cortar seu pir*zinho!

TOMA! ! ! ! !


VINGANÇA!!!!!

Seja antes de tudo Humano...

Seja antes de tudo Humano...
Com seu próximo!

Coments...

Coments...

Janelândia

Janelândia
Passo muito tempo aqui.

Seguidores

Eu Bloggo! Desde 15/01/08

Eu Bloggo! Desde 15/01/08
TU BLOGAS?

Avise, deixe BEM claro!

Avise, deixe BEM claro!

Memento, Homo, Quiá Pulvis Es Et In Pulverem Reverteris.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó hás de voltar”.