Lina Cavalieri "A mulher mais bonita do mundo"

Lina Cavalieri

Natalina "Lina" Cavalieri (25 de dezembro de 1874 - 07 fevereiro de 1944) foi uma italiana soprano cantora de ópera, atriz e modelo. Ela foi considerada a mulher mais bonita do mundo.


Biografia
Lina Cavalieri nasceu no dia de Natal em Viterbo, a cerca de 80 quilômetros ao norte de Roma. Ela perdeu os pais com a idade de quinze anos e viu-se sob a guarda do Estado, enviada para viver em um orfanato católico. A jovem vivaz estava infeliz sob a rígida disciplina das freiras, e na primeira oportunidade que ela fugiu com um grupo teatral. Em uma idade jovem, ela fez seu caminho para Paris, França, onde sua aparência abriu as portas e ela alcançou trabalho como cantora em um dos cafés-concertos da cidade. A partir daí, ela se apresentou em uma variedade de salas de música e outros tais locais em toda a Europa, enquanto ainda estava trabalhando para desenvolver sua voz. Lina teve aulas de voz e fez sua estréia na ópera, em Lisboa, Portugal, em 1900 (como Nedda em Pagliacci), no mesmo ano ela se casou com seu primeiro marido, o príncipe russo Alexandre Bariatinsky. Em 1904, ela cantou na Opéra de Monte-Carlo, em seguida, em 1905, no Teatro Sarah Bernhardt em Paris, Cavalieri atuou ao lado de Enrico Caruso na ópera de Umberto Giordano, Fedora em 1905, no papel-título da ópera. De lá, ela e Caruso foram para à New York City, estreando com ele no Metropolitan Opera em 05 de dezembro de 1906 com uma audaciosa e imprevisível perfomace, atirando-se nos braços do tenos e beijando-o apaixonadamente na boca no final de
um dueto, obteve ruidoso sucesso e as principais manchetes dos jornais do país.
Cavalieri ficou com a Metropolitan Opera por duas temporadas, apresentou-se novamente com Caruso em 1907, em Manon Lescaut, de Puccini. Famoso tanto por sua grande beleza como por sua voz cantando (e
habilidade em exercício), ela se tornou uma das estrelas mais fotografadas do seu tempo. Repetidamente fotografada por Leopold Reutlinger e eternizada em numerosos catrtões-postais. Foi freqüentemente chamada como a "mulher mais bonita do mundo", ela era parte da tradição tightlacing que consiste em as mulheres usarem espartilhos para criar uma figura estilo "ampulheta". Durante a temporada de 1909-1910, ela cantou com Opera Company Manhattan de Oscar Hammerstein. Após seu primeiro casamento, ela teve um romance com Robert Winthrop Chanler (1872-1930), um membro da família Astor e a família Dudley-Winthrop. Eles se casaram em 18 de junho 1910, mas se separaram até o final de sua lua de mel, e seu divórcio transitou e foi julgado em junho de 1912. Após o divórcio, Cavalieri voltou para a Europa, onde ela se tornou uma estrela muito amada na pré-revolucionária St. Petersburg, Rússia e na Ucrânia.
Outras óperas em seu repertório incluem La bohème, La traviata, Faust, Manon, Andrea Chénier, Thaïs, Les
contes d'Hoffmann (como a cortesã Giulietta), Rigoletto, Mefistófeles (tanto como Margarita e Elena), Adriana Lecouvreur, Tosca, Herodiade (como Salomé), Carmen (o papel-título), na Sibéria, e Zaza.
Durante sua carreira, Cavalieri cantou com outros cantores de destaque, incluindo Giuseppe Anselmi, Mary Garden (a estréia mundial de Chérubin de Massenet, 1905), Mattia Battistini, Titta Ruffo, Feodor Chaliapin, Nikolay Figner, Antonio Scotti, Vanni Marcoux, Giuseppe Zanatello, Tito Schipa, e o tenor francês Lucien Muratore, com quem se casou em 1913, após seu divórcio da soprano Marguerite Bériza.
Depois de se aposentar dos palcos, Cavalieri passou um salão de estética em Paris. Em 1914, na véspera de seu aniversário de quarenta anos, sua beleza ainda espetacular ela escreveu uma coluna de conselhos sobre maquiagem para as mulheres na revista Femina e publicou um livro, Meus Segredos de Beleza. Em 1915, ela voltou para sua Itália natal para fazer filmes. Quando esse país se envolveu na Primeira Guerra Mundial, ela foi para os Estados Unidos, onde ela fez quatro filmes mudos. Os últimos três de seus filmes foram um produto de seu amigo, o cineasta belga Edward José.
Depois de casar com seu quarto marido Paolo d'Arvanni, ela voltou a viver com o marido na Itália. Bem em seus sessenta anos quando a Segunda Guerra Mundial começou, no entanto, ela trabalhou como enfermeira
voluntária. Cavalieri foi morta no dia 08 de fevereiro de 1944 durante um bombardeio aliado que destruiu sua casa em Florença perto de Poggio Imperiale, Cavalieri, seu marido, e servos correram para o abrigo antiaéreo no mesmo terreno, mas os dois foram atrasados ​​porque estavam recolhendo suas jóias da casa. Tanto Cavalieri e seu marido foram mortos a correr para o abrigo antiaéreo, enquanto os criados dentro do abrigo todos sobreviveram.
A discografia de Lina Cavalieri é pouca. Em 1910, a Columbia, gravou árias de Fausto, Carmen, Mefistófeles, La bohème, Manon Lescaut e Tosca, assim como a canção, "Maria Mari! (Ah! Marì! Ah! Marì!)". Em 1917, a Pathé, a soprano gravou "Le rêve passé", com Muratore.
Para American Pathé, ela gravou árias de Carmen e Herodiade.
Ela foi pintada pelo artista italiano Giovanni Boldini (adquirida pela Maurice Rothschild) e pelo artista norte-americano nascido na Suíça Adolfo Müller-Ury (1862-1947). Este último é agora propriedade da Metropolitan Opera, e é dela é o rosto que aparece repetidamente, obsessivamente, em desenhos de Piero Fornasetti.
Em 1955, Gina Lollobrigida interpretou Cavalieri no filme La donna più bella del mondo. Em 2004, foi publicado um livro, de autoria de Paul Fryer e Olga Usova sobre Lina, intitulado Lina Cavalieri: A vida da maior beleza da Opera, 1874-1944. (LINA CAVALIERI) Paul Fryer & Olga Usova. Lina Cavalieri, A Vida da maior beleza da Opera, 1874 - 1944. Jefferson, NC, McFarland, 2004.
"Uma estrela de destaque tanto na Rússia pré-revolucionária e Nova York, Lina Cavalieri, descrita como "a mulher mais bonita do mundo", foi uma das personalidades mais freqüentemente fotografadas de seu tempo. A artista de cabaré e estrela internacional está documentada nesta, sua primeira biografia em Inglês. Pesquisado a partir de fontes de arquivos russos, o livro detalha sua carreira a partir de suas primeiras experiências no café-chantant e variedade de teatro em Paris, Londres e são Petersburgo, através de uma carreira operística de grande sucesso em que ela cantou em muitas das casas de ópera mais importantes do mundo, com celebridades como Caruso e Ruffo. em 1914, Cavalieri tornou-se o primeiro cantor grande ópera a aparecer em filmes mudos, fazendo sua estréia em para Manon Lescaut e continuando com uma série de filmes de sucesso . Sua vida foi encerrado por um ataque aéreo dos Aliados na Segunda Guerra Mundial. O livro inclui trechos de comentários de época, programas, cartazes e muitas fotografias inéditas. apêndices incluem uma bibliografia, filmografia, discografia e cronologia de performances de palco (datas, locais, trabalho, elenco, condutor)."
No drama mudo "A Woman of Impulse", Lina Cavalieri contracena com Raymond Bloomer.
Família
De seu primeiro casamento com Alexandre Bariatinsky, Lina teve um filho, Alexandre Bariatinsky Jr.










































0 comentários:

"Nós nascemos sozinhos, vivemos sozinhos, morremos sozinhos. Somente através do amor e da amizade podemos criar a ilusão por um momento que não estamos sozinhos."

Orson Wells

Fenix

Fenix

Eu

Image and video hosting by TinyPic

Resolutions for life

Resolutions for life

Fale comigo

Atualizações Por Email

Meus textos no Me, Myself and I

"Para obter algo que você nunca teve, precisa fazer algo que nunca fez".

"Quando Deus tira algo de você, Ele não está punindo-o, mas apenas abrindo suas mãos para receber algo melhor".

"A Vontade de Deus nunca irá levá-lo aonde a Graça de Deus não possa protegê-lo".

"Boas meninas vão para o céu.

"Boas meninas vão para o céu.
As más vão para qualquer lugar" H.G.Brown

Beijo BEM DADO!

Beijo BEM DADO!
13 de Abril - Dia do Beijo!

Robert & Kristen

Robert & Kristen
Essa foto é quente!!!

Pervert


Mulher Maravilha

Mulher Maravilha

Visualizações de páginas da semana passada

Robert Pattinson Ai Meu Deus!

Robert Pattinson Ai Meu Deus!
Niver: 13/05

Addicted

Addicted

FREEDOM

FREEDOM
passarinho na gaiola não canta, lamenta.

Yes, I do

Yes, I do

Bruninho bonitinho...

Bruninho bonitinho,
Se vovozinho pegar
Você dormindo no

Meu sofazinho gostosinho,
Vai cortar seu pir*zinho!

TOMA! ! ! ! !


VINGANÇA!!!!!

Seja antes de tudo Humano...

Seja antes de tudo Humano...
Com seu próximo!

Coments...

Coments...

Janelândia

Janelândia
Passo muito tempo aqui.

Seguidores

Eu Bloggo! Desde 15/01/08

Eu Bloggo! Desde 15/01/08
TU BLOGAS?

Avise, deixe BEM claro!

Avise, deixe BEM claro!

Memento, Homo, Quiá Pulvis Es Et In Pulverem Reverteris.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó hás de voltar”.