Hannibal, general cartaginês e líder político

Hannibal

Nascido 247 aC
Morreu 182 aC
Busto de um jovem Hannibal
Aníbal, filho de Amílcar BarcaCartago, 248 a.C. - Bitínia, 183 ou 182 a.C., conhecido comumente apenas como Aníbal (em púnico: NBʻL, annibaʻal ou annibaʻl, lit. "Ba'al é/foi bondoso" ou "Graça de Baal" ou "recebi a graça de Baal", talvez também nas formas annobaʻal, ou ʼDNBʻL, ʼAdnibaʻal, lit. "Ba'al é meu senhor"; em grego: ννίβας, Hanníbas) foi um general e estadista cartaginês considerado por muitos como um dos maiores táticos militares da história. Famoso por trazer o seu exército, incluindo elefantes, sobre os Alpes. Infligido três enormes derrotas exércitos romanos, incluindo a maior a batalha de Canas, em 216 aC. Seu pai, Amílcar Barca (Barca, "raio"), foi o principal comandante cartaginês durante a Primeira Guerra Púnica, travada contra Roma; seus irmãos mais novos foram os célebres Magão e Asdrúbal, e seu cunhado foi Asdrúbal, o Belo.
Inimigo de Roma: general cartaginês

Família de Hannibal:

Hannibal era um filho de Amílcar Barca (m.228 BC), o líder militar de Cartago durante a Primeira Guerra Púnica, em que ele foi derrotado em 241 aC. Hamilcar desenvolveu uma base de Cartago, no sul da Espanha, o que ajuda a explicar a geografia e a aventura transalpina da Segunda Guerra Púnica. Quando Amílcar morreu, seu genro Asdrúbal
Busto de Hamilcar
assumiu, mas quando
Asdrúbal morreu, sete anos depois, em 221, o exército nomeou Hannibal general das forças de Cartago, na Espanha.

Hannibal Barca era o filho mais velho do general Amílcar Barca e de sua mulher. Ainda que «Barca» não fosse um sobrenome, mas um apelido (debarqä, "raio" em língua púnica), foi adotado como tal por seus filhos. Os historiadores designam à família de Amílcar com o nome de Bárcidas, a fim de evitar a confusão com outras famílias cartaginesas com os mesmos nomes (Aníbal, Asdrúbal, Amílcar, Magón, etc.).
Sobre a educação de Hannibal é pouco o recolhido pelos autores greco-romanos. É sabido que aprendeu de um preceptor espartano, chamado Sosilos, as letras gregas, a história de Alexandre Magno e a arte da guerra. Assim adquiriu o modo de raciocínio e de ação que os gregos chamavam Métis, fundado na inteligência e a astúcia
O historiador romano Tito Lívio menciona que quando Hannibal foi ver ao seu pai e lhe rogou que o permitisse acompanhá-lo, este aceitou com a condição de que jurasse que durante toda sua existência nunca seria amigo de Roma. Outros historiadores referem que Hannibal declarou a seu pai:
“Juro que enquanto a idade me permita […] empregarei o fogo e o ferro para romper o destino de Roma”
Hannibal

Seu aprendizado tático começou sobre o terreno, sob a égide de seu pai. Continuou aprendendo de seu cunhado, Asdrúbal, o Belo, quem sucedeu a Amílcar, morto no campo de batalha contra os rebeldes iberos em 229
a.C. ou em 230 a.C., momento em que o nomeia chefe da cavalaria. Neste domínio, Hannibal revela de imediato sua resistência, seu sangue frio, e sua capacidade para se fazer apreciar e admirar por seus soldados. Asdrúbal perseguiu uma política de consolidação dos interesses ibéricos de Cartago. Para isso, casou Hannibal com uma princesa ibera de nome Imilce, com a qual teve um filho. No entanto, esta aliança matrimonial é considerada improvável e não está atestada por todos. Por outro lado, Asdrúbal assinou em 226 a.C. um tratado com Roma pela qual a Península Ibérica ficava dividida em duas zonas de influência. O rio Ebro constituía a fronteira: Cartago não devia expandir-se mais ao norte deste rio, na mesma medida que Roma não se estenderia ao sul do curso fluvial. Em 221 a.C., Asdrúbal fundou a nova capital, Qart Hadasht, hoje Cartagena, situada no que é atualmente a província de Múrcia (ao sudeste da Espanha). Porém, um pouco mais tarde, um escravo gaulês, que acusou Asdrúbal de haver assassinado seu amo o assassinou em torno do ano 221 a.C..


Hannibal tornou-se comandante das forças cartaginesas na Espanha, em sucessão a Asdrúbal em 221 aC. Na época, Roma e Cartago estavam se movendo em direção a eclosão da segunda das três chamadas guerras púnicas (264-241 aC 218-201 aC e 149-146 aC), através do qual o conflito sobre o controle do oeste Mediterrâneo acabou por ser decidido.

Hannibal levou a guerra para Roma, e em maio de 218 aC conquistou norte da Espanha, antes de atravessar os Alpes, no Outono, com 50.000 de infantaria, 9.000 de cavalaria e 37 elefantes. Na Itália, ele lutou uma campanha prolongada, obtendo três grandes vitórias sobre os exércitos romanos enviados contra ele: a Trebbia em dezembro de 218 aC, Trasimene, em 217 aC (onde 15 mil Romanos foram mortos e outros 10 mil capturados) e, a maior de todas, em Canas em 216 aC.
Cercados, uma vez que os iberos e gauleses que formavam o núcleo de Hannibal ainda lutavam ferozmente, disputando cada pedaço de solo, os romanos foram totalmente atingidos pelo arrocho das duas alas formadas pelos africanos. Por toda aquela tarde quente, a planície abaixo da colina de Canas se transformara num matadouro.
Lívio escreve que quarenta e cinco centenas de soldados de infantaria e dois mil e setecentos cavaleiros foram mortos numa proporção quase igual de cidadãos e aliados. Apiano e Plutarco dão um total de cinqüenta mil homens; Quintiliano, sessenta mil homens, e Políbio elevam o grande total de romanos mortos a setenta mil. Os cartagineses perderam aproximadamente quatro mil gauleses, mil e quinhentos iberos e africanos, e duzentos cavaleiros.
Assim como o cônsul Lúcio Emílio Paulo, os dois cônsules dos anos anteriores, Servílio e Atílio, foram ambos mortos, além de Minúcio, o chefe dos cavaleiros de Quinto Fábio Máximo. Oitenta senadores, dois questores (tesoureiros do Estado) e vinte e nove tribunos militares — mais da metade do total daqueles descendentes de sangue nobre romano — morreram naquele dia.

Após a batalha

Caio Terêncio Varrão, junto com um pequeno grupo de cavaleiros aliados, cavalgou para Venusia (atual Venosa) trinta milhas adiante. Políbio comenta que "ele desgraçou a si mesmo com tal fuga; o exercício do seu mandato tinha sido o menos proveitoso possível para o seu país". O mais espantoso é que, ao chegar, por fim, a Roma, foi recebido por uma grande multidão que o congratulava por não ter perdido a esperança na república. Seria essa flexibilidade — a pura força e vitalidade — das instituições políticas de Roma que no fim derrotaria Aníbal. Em Cartago, o destino de um general mal sucedido e covarde era bem conhecido — ele era crucificado.
Da infantaria sobrevivente um número não especificado conseguiu chegar a Canusio (atual Canosa di Puglia), entre eles um dos tribunos militares, o jovem Cipião. Este era testemunha da genialidade de Hannibal, a qual ele iria estudar e aproveitar. Anos mais tarde, no campo de batalha norte - africano de Zama, ele demonstraria ter absorvido bem as lições. Dez mil homens que haviam sido deixados para guardar o acampamento romano e, se possível, atacar e tomar o acampamento principal dos cartagineses foram apanhados após a batalha; foram mortos dois mil, e os restantes, aprisionados. A pilhagem do acampamento romano e do campo de Canas foi considerável: armas e armaduras, arreios de cavalos, prata e ouro, cavalos e bagagem. Diz-se que somente os anéis com sinetes de ouro, tirados dos cavaleiros romanos que haviam tombado em batalha, somavam três bushels de peso. Hannibal, como de costume, tentou recuperar os corpos de seus líderes oponentes, mas somente o do cônsul Lúcio Emílio Paulo pôde ser identificado, e a ele foi dado um honroso funeral.
Hannibal contando os anéis dos cavaleiros romanos caídos na Batalha de Canas (216 a.C.).
Mármore de 
1704 esculpido por Sébastien Slodtz, atualmente exposto no Museu do Louvre.

Os cartagineses, com essa ação (em Canas), tornaram-se, de uma vez por todas, senhores de quase todo o resto da costa. Com Tarento rendendo-se imediatamente, enquanto Argiripa e algumas cidades campanianas convidavam Hannibal para vir até elas (…). Os romanos, por seu lado, devido a essa derrota, abandonaram de vez todas as esperanças de reter sua supremacia na Itália, apreensivos que estavam por sua própria segurança e a de Roma, com a expectativa de que Hannibal aparecesse a qualquer momento.

No longo prazo, ele nunca recebeu reforços o suficiente para ameaçar a própria Roma, apesar de seu exército sobreviver na Itália há mais de uma década. Vitórias romanas em outros lugares fizeram com que a paz acabasse por ser feita em termos romanos em 201 aC. Hannibal, em seguida, envolveu-se - finalmente sem sucesso - na política cartagineses interna, e foi levado para o exílio.

Em 183 aC, ele cometeu suicídio tomando veneno para impedir-se de ser entregue aos romanos.
 
Um busto romano de mármore originalmente encontrado na antiga cidade-estado de Cápua  na Itália. Nenhuma imagem autenticada de Hannibal é conhecida, então, essa obra mais recente pode ser chamada de uma 'imaginação' do que ele pode ter parecido.
O historiador militar Theodore Ayrault Dodge o chamou "pai da estratégia". Foi admirado inclusive por seus inimigos — Cornélio Nepos o batizou como “o maior dos generais”—, assim sendo, seu maior inimigo, Roma, adaptou certos elementos de suas táticas militares a seu próprio arsenal estratégico. Seu legado militar o conferiu uma sólida reputação no mundo moderno, e tem sido considerado como um grande estrategista por grandes militares como Napoleão ou Arthur Wellesley, o duque de Wellington. Sua vida tem sido objeto de muitos filmes e documentários. Bernard Werber lhe rende homenagem através do personagem do “Libertador”, e de um artigo em L’Encyclopédie du savoir relatif et absolu mencionada em sua obra Le Souffle des dieux.


Em Roma o lema era:
Delenda est Carthago

Cartago deve ser destruída

A lendária cidade de Cartago, hoje se chama Túnis, capital da Tunísia. Cartago brilhou no mar Mediterrâneo e foi destruída por Roma, na disputa pelo controle da Sicília, então ilha celeiro da Europa, nas célebres guerras Púnicas. O mosaico Cupido e as Uvas, foi trazido de Cartago é conservado no Museu do Louvre, em Paris.

Cartago






 
Ontem







Hoje




Homenagem a Hannibal

0 comentários:

"Nós nascemos sozinhos, vivemos sozinhos, morremos sozinhos. Somente através do amor e da amizade podemos criar a ilusão por um momento que não estamos sozinhos."

Orson Wells

Fenix

Fenix

Eu

Image and video hosting by TinyPic

Resolutions for life

Resolutions for life

Fale comigo

Atualizações Por Email

Meus textos no Me, Myself and I

"Para obter algo que você nunca teve, precisa fazer algo que nunca fez".

"Quando Deus tira algo de você, Ele não está punindo-o, mas apenas abrindo suas mãos para receber algo melhor".

"A Vontade de Deus nunca irá levá-lo aonde a Graça de Deus não possa protegê-lo".

"Boas meninas vão para o céu.

"Boas meninas vão para o céu.
As más vão para qualquer lugar" H.G.Brown

Beijo BEM DADO!

Beijo BEM DADO!
13 de Abril - Dia do Beijo!

Robert & Kristen

Robert & Kristen
Essa foto é quente!!!

Pervert


Mulher Maravilha

Mulher Maravilha

Visualizações de páginas da semana passada

Robert Pattinson Ai Meu Deus!

Robert Pattinson Ai Meu Deus!
Niver: 13/05

Addicted

Addicted

FREEDOM

FREEDOM
passarinho na gaiola não canta, lamenta.

Yes, I do

Yes, I do

Bruninho bonitinho...

Bruninho bonitinho,
Se vovozinho pegar
Você dormindo no

Meu sofazinho gostosinho,
Vai cortar seu pir*zinho!

TOMA! ! ! ! !


VINGANÇA!!!!!

Seja antes de tudo Humano...

Seja antes de tudo Humano...
Com seu próximo!

Coments...

Coments...

Janelândia

Janelândia
Passo muito tempo aqui.

Seguidores

Eu Bloggo! Desde 15/01/08

Eu Bloggo! Desde 15/01/08
TU BLOGAS?

Avise, deixe BEM claro!

Avise, deixe BEM claro!

Memento, Homo, Quiá Pulvis Es Et In Pulverem Reverteris.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó hás de voltar”.