Russo e o Cinema


Precisava sair do ar, me desligar de todas as conexões do mundo moderno, não queria conversar, falar. Queria paz, silêncio e solidão. Uma semana muito difícil, vivência de momentos difíceis. Resolvi exorcizar meus fantasmas no cinema. E o que escolher? Todos sabem que não sou muito fã de filmes nacionais mas a escolha era entre um blockbuster onde todos os ideais americanos seriam apresentados, como a redenção do moçinho depois ter passado o pão que o diabo amassou com a bandeira americana ao fundo ao sabor do vento ou o filme nacional de uma banda que fez história, não só na história, mas na minha história. Escolhi o filme nacional.
A banda era de uma época e fazia apologias que só hoje confesso que entendo de verdade, mas as musicas cativaram uma geração inteira de brasileiros com raras exceções.
Bom, já apresentado por alto o meu sentimento a banda, que garanto ser muito mais profundo que isso, vamos aos detalhes do ato em si:
Quando fui comprar os ingressos de um lado da fileira só havia dois lugares disponíveis. E foram esses que escolhi. Sentamos, eu e minha amiga e uma turma de colégio grande com a professora se sentou nas cadeiras do fundo, pensei isso não vai dar certo! Enganei-me, os alunos ficaram até que bem comportados, o que deixaria Renato decepcionado, pois a revolução pessoal era uma bandeira que empunhava com fervor. O pior estava ao meu redor...
Três garotos de seus 17, 18 anos duas meninas e um rapaz, se sentaram ao meu lado esquerdo, sacaram um pote de sorvete de um litro, sim, um pote de sorvete de um litro e com uma colher começaram a dividir, como se fosse um cigarro de maconha onde cada um dá um tapa e passa para o outro. Legal, eu nada tenho a ver com isso. Aí a coisa foi piorando. Pés de meias foram colocados nas cadeiras da frente, rebeldia nada tem a ver com falta de educação, estamos entendidos? E o mesmo pé que de vez em quando descia das costas da cadeira ia sempre aterrissar em cima do meu pé (ainda bem que só de meia). Quando no filme, Renato é diagnosticado em sua juventude com Epifiólise, no qual teve que colocar pinos de platina na bacia, o rapaz ao lado soltou uma dúvida que deveria ter ficado calada, mas para meu azar, não ficou. _Renato morreu de A) (H)emofilia? B) (H)emodiálise? C) Ah! Foi d(H)eAIDS. A cadeira que já tinha começado a esquentar para mim, já estava em brasas. Minha amiga, quando foi rir discretamente, virou o rosto para sua direita e viu um casal de meninas aos beijos. É, Vive La différence do mundo moderno. Aí o rapaz se sentindo completamente a vontade, depois do sorvete de um litro divido irmamente com suas amigas resolveu relaxar, deitou na cadeira a abriu suas assa, levando seu cotovelo direito até a minha costela esquerda (como diria o Claudio) voadora.
Coloquei gentilmente, o tão gentilmente que eu posso, a minha mão na junção dos três ossos que formam o cotovelo dele, junção essa do úmero (do braço) e do rádio e ulna (antebraço) no processo coronóide, fossa coronóide do braço do rapaz, bem na cabeça da ulna dele e disse em bom som: _ dá licença? E dei uma leve, tão leve como eu posso dar empurradinha no braço dele E assim as asas foram parcialmente fechadas.
Quando no filme, Renato inicia seus dilemas da bissexualidade que o acompanhou a vida toda, três garotas atrás de mim, emitiam Oh!s e Uh!s toda vez que Russo tocava em outro rapaz.
E isso é lá alguma novidade hoje em dia? Renato nunca escondeu suas opções, ir ver um filme sem ter a menor noção do que é, do que foi a pessoa ou a banda, é muito triste. Hoje em dia nesse nosso mundo interligado, com essa rede de informações a dispor, ser ignorante é um diferencial, é como disse um dia a Angélica no último programa que dela assisti. É Plus a mais. Então se você sai de casa, paga nem que seja meia entrada de um cinema, para ver um filme onde você não sabe nada, não entende nada e sequer quer entender, aconselho ter ido ver o blockbuster. Pelo menos, teria sido poupado de tentar formular qualquer tipo de pensamento que fosse. Pois blockbusters são para isso. Estímulos visuais e auditivos somente. Pensamento? Para que? Pensamentos geram questionamentos, que é o que parece que ninguém quer. Então se for assim, fique em casa, guarde seu dinheiro para cerveja da próxima balada.

0 comentários:

"Nós nascemos sozinhos, vivemos sozinhos, morremos sozinhos. Somente através do amor e da amizade podemos criar a ilusão por um momento que não estamos sozinhos."

Orson Wells

Fenix

Fenix

Eu

Image and video hosting by TinyPic

Resolutions for life

Resolutions for life

Fale comigo

Atualizações Por Email

Meus textos no Me, Myself and I

"Para obter algo que você nunca teve, precisa fazer algo que nunca fez".

"Quando Deus tira algo de você, Ele não está punindo-o, mas apenas abrindo suas mãos para receber algo melhor".

"A Vontade de Deus nunca irá levá-lo aonde a Graça de Deus não possa protegê-lo".

"Boas meninas vão para o céu.

"Boas meninas vão para o céu.
As más vão para qualquer lugar" H.G.Brown

Beijo BEM DADO!

Beijo BEM DADO!
13 de Abril - Dia do Beijo!

Robert & Kristen

Robert & Kristen
Essa foto é quente!!!

Pervert


Mulher Maravilha

Mulher Maravilha

Visualizações de páginas da semana passada

Robert Pattinson Ai Meu Deus!

Robert Pattinson Ai Meu Deus!
Niver: 13/05

Addicted

Addicted

FREEDOM

FREEDOM
passarinho na gaiola não canta, lamenta.

Yes, I do

Yes, I do

Bruninho bonitinho...

Bruninho bonitinho,
Se vovozinho pegar
Você dormindo no

Meu sofazinho gostosinho,
Vai cortar seu pir*zinho!

TOMA! ! ! ! !


VINGANÇA!!!!!

Seja antes de tudo Humano...

Seja antes de tudo Humano...
Com seu próximo!

Coments...

Coments...

Janelândia

Janelândia
Passo muito tempo aqui.

Seguidores

Eu Bloggo! Desde 15/01/08

Eu Bloggo! Desde 15/01/08
TU BLOGAS?

Avise, deixe BEM claro!

Avise, deixe BEM claro!

Memento, Homo, Quiá Pulvis Es Et In Pulverem Reverteris.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó hás de voltar”.