O Espiral


Podemos sentir saudades do que nunca tivemos? O sentimento não deve ser bem esse.

Quando temos uma vida organizada, estabilizada mas a sensação de que falta algo perdura é o que? Não é insatisfação.

Quando vivemos situações que aos olhos de alguém que amamos é inocentemente normal, mas nos magoa, é o que? Não é a vontade de voltar ao passado.

Quando o desejo é mais forte que a razão é o que? Não é frustração.

Quando pensamos por um milésimo de segundo que gostaríamos de voltar no tempo e fazer tudo diferente? Não somos diferentes de ninguém.

Sentimos saudades do que nunca tivemos por que não sabemos como seria se fosse essa, a nossa realidade.

A sensação que nos falta algo queima, pois estamos vivos e nós sempre queremos mais. Mais do que temos, do que podemos, ou merecemos.

Quando nos magoamos com a inocência de alguém que amamos é por que entendemos os por quês da vida e o outro não.

Se desejamos algo do fundo de nossas almas, mas não o temos, é por que talvez não seja o momento certo, ou a pessoa certa ou merecimento mesmo.

A vontade de voltar ao passado e fazer tudo diferente talvez não nos desse a sabedoria necessária que temos neste momento de nossas vidas, e o aprendizado é essencial para nosso crescimento como seres humanos e para nossas almas.

O resgate nos é sempre necessário. Seja por nós ou para nós. Sempre há algo que precisamos perdoar ou algo que necessitamos que seja perdoado por outro. O resgate, as uniões familiares ou de amizades, os laços que fazemos ou desfazemos sempre tem um por que. Mesmo que não saibamos. Só sentimos. Erros são cometidos, desculpas são pedidas ou não.

Mas nossas vidas, nossa essência devem continuar, pois vamos ser essencialmente os mesmos, mesmo com mudanças em nossas vidas. Há uma adaptação somente, uma mudança, um aprendizado. Precisamos saber que nossas vidas têm um curso traçado por Deus, e Ele quer sempre o nosso bem, o melhor para nós.

O que nos desvia ou atrai para esses propósitos é o livre arbítrio que Deus nos deu para que possamos aprender e nos tornarmos pessoas melhores, seres melhores, com almas mais puras, para voltarmos a ter uma essência que esteja mais perto da perfeição de Deus.

Para não cometermos os mesmos erros e podermos dar continuidade na evolução de nossas almas. Mesmo que doa, mesmo que não seja o que esperamos. Para tudo há um motivo, um por que. E um dia vamos saber.

Vamos saber...

0 comentários:

"Nós nascemos sozinhos, vivemos sozinhos, morremos sozinhos. Somente através do amor e da amizade podemos criar a ilusão por um momento que não estamos sozinhos."

Orson Wells

Fenix

Fenix

Eu

Image and video hosting by TinyPic

Resolutions for life

Resolutions for life

Fale comigo

Atualizações Por Email

Meus textos no Me, Myself and I

"Para obter algo que você nunca teve, precisa fazer algo que nunca fez".

"Quando Deus tira algo de você, Ele não está punindo-o, mas apenas abrindo suas mãos para receber algo melhor".

"A Vontade de Deus nunca irá levá-lo aonde a Graça de Deus não possa protegê-lo".

"Boas meninas vão para o céu.

"Boas meninas vão para o céu.
As más vão para qualquer lugar" H.G.Brown

Beijo BEM DADO!

Beijo BEM DADO!
13 de Abril - Dia do Beijo!

Robert & Kristen

Robert & Kristen
Essa foto é quente!!!

Pervert


Mulher Maravilha

Mulher Maravilha

Visualizações de páginas da semana passada

Robert Pattinson Ai Meu Deus!

Robert Pattinson Ai Meu Deus!
Niver: 13/05

Addicted

Addicted

FREEDOM

FREEDOM
passarinho na gaiola não canta, lamenta.

Yes, I do

Yes, I do

Bruninho bonitinho...

Bruninho bonitinho,
Se vovozinho pegar
Você dormindo no

Meu sofazinho gostosinho,
Vai cortar seu pir*zinho!

TOMA! ! ! ! !


VINGANÇA!!!!!

Seja antes de tudo Humano...

Seja antes de tudo Humano...
Com seu próximo!

Coments...

Coments...

Janelândia

Janelândia
Passo muito tempo aqui. Hoje não mais.

Seguidores

Eu Bloggo! Desde 15/01/08

Eu Bloggo! Desde 15/01/08
TU BLOGAS?

Avise, deixe BEM claro!

Avise, deixe BEM claro!

Memento, Homo, Quiá Pulvis Es Et In Pulverem Reverteris.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó hás de voltar”.